O MESTRE DOUTRINADO

Numa terra distante um sábio existia
Do alto da sapiência ensinava o que sabia
Exaltava o conhecimento que possuía
Nunca se limitava ao que lhe competia

Discursava falando da ideologia
Doutrinava pregando o que queria
Como tema central usava as minorias
Encantava as mentes vazias

Durante a eleição muito escrevia
Falava sobre um candidato com ironia
Procurava desqualificá-lo como podia
Poucos enxergavam o que ele pretendia

Quem discordava apenas sorria
Mesmo indignado ninguém se atrevia
Discordar do mestre nas aulas de cada dia
Não se sabe era medo do que ele faria

Certo dia um ex discípulo se insurgiu
Indagou-lhe os motivos do discurso viril
Apontou-lhe as discordâncias naquilo que leu e viu
Falou que ele estava na contramão do Brasil

Disse-lhe que não podia ficar indiferente
Esclareceu seu ponto de vista divergente
Que o respeitava por ser inteligente
Que apenas aspirava um país melhor e para frente

O Mestre não titubeou diante daquilo que lia
Ao discípulo esclareceu seu conceito de democracia
Que dada a relevância ali não se aprofundaria
Mas se pessoalmente procurado explicaria

Sem pestanejar admoestou o insurgente
Destacou que sua opinião visava alertar somente
Que ela não vinha do consenso das massas e nisto podia crer
Que ela era fruto do estudo e do hábito de ler

No fim restou a dúvida a ser dirimida
Será que o Mestre, pela postura assumida,
Mesmo tendo muito estudado
Consegue se ver como alguém doutrinado?

Autor: Miqueas Liborio de Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *